23.10.09

Ai as férias!

Hoje deu-me uma súbita saudade das férias...e como ainda não tinha posto aqui algumas fotos, que prometi em Agosto, aqui ficam!
Foram mesmo boas, relaxantes, refrescantes e produtivas...e saber que fomos três, e voltámos quatro :D !

15.10.09

Brasileiradas de mau gosto

Soou-me aos ouvidos que uma tal senhora veio a Portugal e que andou a gozar com a malta cá do Burgo. E quando digo malta, incluo tão boa gente como Camões e Fernando Pessoa!


No momento pensei em três coisas.

A primeira, é que é preciso ser muito triste e baixa para ganhar dinheiro a troco de cuspir em monumentos, confundir rio com mar, desdenhar da magnífica vila de Sintra, de tão nobres escritores e poetas e demonstrar tanta ignorância junta. Principalmente porque no Brasil a taxa de analfabetos é muito superior à de Portugal e também porque a história do Brasil, como país, começou precisamente com os portugueses. É a nossa língua que eles falam, apesar das diferenças de evolução linguística!


A segunda, é que é preciso ser-se autista ou mentecapto para ter a lata de vir gozar com um país com tanta história e cultura como o nosso, quando, pelos vistos, se desconhece a história e a geografia local. Eu costumo dizer, quando não se sabe de um assunto, o melhor é manter a boca fechada. É bem mais sensato do que vir mostrar nas televisões a ignorância e a má formação como pessoa. Porque é má formação cuspir em monumentos...e é burrice demais banalizar homens grandiosos da nossa língua.



Em terceiro, vou apenas dizer que já era altura de algum brasileiro vir fazer uma reportagem ao nosso país, para ver o que a comunidade brasileira por cá faz. É que começo a fartar-me de ver alguns brasileiros terem a lata de dizer mal e gozarem connosco quando não têm onde cair mortos!
Se muitos há que trabalham na restauração, e com mérito pela simpatia, também não podemos ocultar o tamanho da prostituição e os casos de violência e roubo que têm acontecido nos últimos anos, muito ao estilo de São Paulo e do Rio de Janeiro. É verdade que o crime violento aumentou abruptamente... e acho, muito sinceramente, que o SEF não está a funcionar devidamente, já que parece ser mais fácil um brasileiro virar português do que portugueses descendentes de Cabo Verde, nascidos, criados e educados cá, que nem tem direito a documentos. É uma das coisas que me revolta...

Não quero generalizar. Todos os povos têm pessoas válidas e pessoas não-gratas, mas é preciso não ter vergonha na cara para vir gozar com a tradição, cultura e costumes, quando têm tanto de que se envergonharem neste país! Pelo menos nós, enquanto povo, somos pacatos e não somos conhecidos por querermos enriquecer de forma fácil. Somos um povo trabalhador. Temos defeitos como todo o mundo, mas somos bastante tolerantes com os outros.

Sei, dito por uma brasileira, que muitas das que andam na prostituição em Portugal e que enviam grandes quantias de dinheiro para a família, no Brasil, não contam a sua actividade. Para os pais e restantes familiares, em Portugal ganha-se muito bem, a ver pelos envios chorudos. É por causa desta ignorância que continuam tantas a vir "enganadas", à procura de um país de muito emprego onde é fácil enriquecer.

Isto não está fácil para ninguém, nem para pessoas com formação superior. E não se resume ao país, a crise é mundial!

Como portuguesa que sou, sinto muito orgulho por falar a língua de Luís Vaz de Camões e de Fernando Pessoa. Como habitante do concelho de Sintra, sinto orgulho na magnífica e idílica serra, cheia de palácios, castelos e chalets, adoro a Sintra romântica e a Sintra isotérica. Não foi à toa que o Lord Byron disse:


"A vila de Cintra na Estremadura é, talvez, a mais bela do mundo inteiro"

Eu partilho da opinião, mas sou suspeita: sou apaixonada pela vila! O que é um facto é que a dita senhora resumiu Sintra a um nº 3, virado ao contrário, com todo o isoterismo inerente. Nada de palácios, castelos, beleza natural...

Gostava de saber se os brasileiros gostavam que se dissesse que o Brasil se resume a uma favela gigante, de pobreza e violência?! É que foi nesta perspectiva que se mostrou a "vilazinha" Património da Humanidade!

Como europeia, e cidadã do mundo, quando viajo (apesar de não ser tanto como desejava, também não foi assim tão pouco!) mantenho a mente aberta às diferenças, não critico o que desconheço, antes fico curiosa por entender determinados estilos e escolhas.
O mundo é feito de diferenças e a riqueza está nessas mesma diferenças!!!

Shame on you, Maitê Proença.

10.10.09

Hoje foi dia de ver o meu bebé!



E fiquei contente de saber que está tudo bem.
Quanto ao sexo do bebé, está no segredo dos deuses ;) !

5.10.09

Fim de semana em Mértola

Com este fim de semana grande resolvemos ir dar uma volta até ao Baixo Alentejo, até porque penso que nunca tinha ido a Mértola.
Gostámos muito e é um sítio onde voltaremos, com certeza.
Ainda antes de chegarmos ao destino fizemos um "desviozito (50 Km!) para ver uma queda de água magnífica, no Rio Guadiana, chamada de Pulo do Lobo.

Depois lá chegámos ao destino. Já noite.

A vila de Mértola tem um ambiente fantástico, típica de uma terra Alentejana, mas cheia de história, desde romanos a árabes, todos deixaram marcas fantásticas.
Na manhã seguinte fomos até ao Complexo das Minas de S. Domingos, desactivadas em 1966.
Está, claro, tudo em ruínas, mas fiquei fascinada com as cores e contrastes do solo do local, carregado de minerais. Trouxe até para a minha colecção de pedras algumas amostras diversificadas do local.

Aqui em cima estou eu e o puto (mais a minha redonda barriga) com um dos pavilhões onde acabava a linha férrea, utilizada para o transporte dos minérios.
Aqui em baixo vemos a Mina que alagou, cheia de água altamente contaminada com todos os minérios extraídos. A extracção no local foi iniciada pelos Romanos!!

 
Depois de algum tempo passado no calor abrasador das Minas, demos um pulo até à Praia Fluvial de S. Domingos. Deu para molhar os pés. Foi pena não ter levado o fato de banho, que o dia apetecia!



Depois de alguns momentos de relax com os pés de molho, fomos até ao Pomarão, antigo Porto Fluvial do Guadiana, onde era feito o carregamento dos minérios em barcos e levados através do rio. Esta terriola fica a algumas dezenas de metros de Espanha, sendo que o Guadiana é a fronteira.

 
A paisagem é sempre a mesma, ainda assim surpreendente.
Em Mértola visitei todos os museus: o de Tecelagem, de Arte islâmica, de Arte Sacra, a antiga Mesquita transformada em Igreja, o Castelo com a sua Torre de Menagem, e a Casa Romana, que são umas ruínas debaixo do edifício da Camara Municipal! As fotos é que eram proíbidas...



Ainda tivemos tempo de dar um saltinho às Azenhas...

 

 
... e fomos também ver o que resta da antiga via romana para Serpa.

 
Perto da via romana para Serpa (do lado oposto do Gaudiana), pudemos fotografar a Torre do Rio, que era o posto de controlo de entrada da cidade na época romana.

Deixo-vos aqui uma foto do casario, com palacetes amontoados e com a Torre do relógio, da época islâmica.


Aconselho a visita desta vila fantástica. Voltarei talvez quando fizerem a bienal feira islâmica, onde são recriados momentos da vida típica deste povo.
Para quem pediu fotos da minha barriga, aqui ficam: relembro que estou só de 3 meses! Medoooooooooo! 


Três meses de muitos enjoos, muita má disposição e a silhueta de um Buda!